A Prece – Sabemos Orar?

prece1

Como orar? Afinal a prece deve ser feita antes de dormir? Deve possuir belas palavras? precisa-se de estar de joelhos e mãos juntas? Quantas e quantas vezes somos indagados por outros sobre questões semelhantes a estas. Afinal no espiritismo existe um jeito certo de orar?

Para iniciarmos este pequeno estudo precisamos antes entender o que é a prece no seu sentido mais amplo. A prece é a união entre o homem e Deus através dos seus pensamentos e sentimentos. É através da prece que o ser humano se liga a Deus e mantem-se durante seu dia em comunhão vibracional com o plano superior divino. Ela fortalece aquele que a proclama e gera auxílio vibracional a todo o ambiente a sua volta, causando enorme bem-estar e equilíbrio.

Sobre a prece Santo Agostinho fala no Evangelho Segundo o Espiritismo Cap. XXVII, item 23 o seguinte:

Vinde, todos vós que desejais crer; os espíritos celestes auxiliam e vêm vos anunciar grandes acontecimentos. Deus, meus Filhos, abre os seus tesouros para vos dar todos os seus benefícios. Homens incrédulos! Se soubésseis quanto bem a fé traz ao coração e como leva a alma ao arrependimento e à prece! Ah! a prece! Como são comoventes as palavras que saem da boca no momento em que se ora!

A prece é o orvalho divino que faz desaparecer o grande calor das paixões; filha mais velha da fé, ela nos leva pelo caminho que conduz a Deus. No recolhimento e na solidão, estais com Deus; e para vós não há mistérios, porque eles se desvendam. Apóstolos do pensamento, para vós é a verdadeira vida; vossa alma se desliga da matéria e se lança nesses mundos infinitos e etéreos que os pobres humanos desconhecem.

Caminhai, caminhai pelos caminhos da prece, e escutareis as vozes dos anjos. Que harmonia! Não mais o ruído confuso nem os cantos estridentes da Terra; são as liras
dos arcanjos; são as vozes doces e suaves dos serafins, mais leves que a brisa da manhã, quando brincam na folhagem dos vossos grandes bosques. Em que delícias havereis de caminhar! Vossas palavras não poderão definir essa ventura, que entrará por todos os poros, tão viva e refrescante é a fonte em que se bebe quando se está orando. Doces vozes, inebriantes perfumes que a alma ouve e sente quando se lança nessas esferas desconhecidas, habitadas pela prece. Sem a mistura dos desejos carnais, todas as aspirações são divinas. Vós também, orai como o Cristo levando sua cruz ao Gólgota, ao Calvário. Levai vossa cruz, e sentireis as doces emoções que passavam em sua alma, embora carregando o madeiro infamante. Ele ia morrer, mas para viver a vida celeste, na morada de seu Pai.
(Santo Agostinho. Paris, 1861.)

prece2

É através da prece que nos ligamos ao plano superior e ficamos mais sensíveis as suas intuições de amparo e amor. Quantas situações infelizes ou tomadas de decisões poderíamos ter feito de forma mais equilibrada se vivêssemos em prece? A alma equilibrada tem mais chances de agir pelo caminho do bem e o equilíbrio se estabelece com a pratica de oração. Por isso na dúvida ou nos anseios de toda espécie ORE E CONFIE!

Mas nós sabemos como orar? sabemos o que pedir? Normalmente não costumamos usar a prece de forma egoística pedindo pequenas vitórias pelo mundo material e não agradecendo nossas vicissitudes e provações que nos fazem espíritos melhores ?

[…]A prece do cristão, do espírita, qualquer que seja o culto, deve ser feita logo que o espírito retoma o domínio da carne e deve elevar-se aos pés da Majestade Divina com humildade, do mais profundo da alma, em um impulso de reconhecimento por todos os benefícios recebidos até o dia presente; pela noite transcorrida, e durante a qual lhe foi permitido, ainda que sem o saber, encontrar-se com os amigos, com os guias, para receber na companhia deles mais força e mais perseverança. A prece deve elevar-se humilde aos pés do Senhor, para pedir-lhe proteção para a vossa fraqueza, pedir-lhe seu apoio, sua indulgência e sua misericórdia. Ela deve ser profunda, porque é a vossa alma que se deve elevar até o Criador, e que se deve transfigurar, como Jesus no Tabor, para chegar a ele pura e radiante de esperança e de amor.

Vossa prece deve conter o pedido das graças de que tendes necessidade, mas uma
necessidade real.[…]

(Evangelho segundo o espiritismo Cap. XXVII, item 22)

Ou seja, não importa como você faz sua prece mas o sentimento que está pro detrás daquilo que você solicita ao plano espiritual. Uma prece feita com as palavras do coração e com humildade e sentimento atravessa aos céus e chega ao destino, uma prece fútil e com intensões secundárias egoístas não pode senão passar de devaneios de um espírito que ainda se encontra prisioneiro de si mesmo.

[…]Inútil, portanto, é pedir ao Senhor que abrevie as vossas provas, que vos dê alegrias e riquezas. Pedi-lhe antes que vos conceda os bens mais preciosos: a paciência, a resignação e a fé. Não pronuncieis, como muitos dentre vós, estas palavras: “Não vale a pena orar, pois Deus não me escuta”. Na maioria das vezes, o que rogais a Deus? Tendes pensado em lhe pedir o vosso aperfeiçoamento moral? Oh! não, muito poucas vezes; o que antes vos lembrais de pedir é o sucesso para os vossos empreendimentos terrenos, e vós exclamais: “Deus não se preocupa conosco, se ele se preocupasse não haveria tantas injustiças.”

Insensatos, ingratos! Se fôsseis ao fundo das vossas consciências, quase sempre encontraríeis em vós mesmos o ponto de partida de todos os males dos quais vos queixais; pedi, portanto, antes de todas as coisas, o vosso aperfeiçoamento moral, e vereis que torrente de graças e de consolações se derramará sobre vós.[…]

(Evangelho Segundo o Espiritismo Cap. XXVII, item 22)

Os espíritos nos trazem através das palavras acima a advertência fraterna sobre a importância do pensamento em prece estar m conformidade com nosso progresso moral e nossa luta diária para nos tornarmos espíritos melhores. É indispensável que nesta luta mantenhamos o nosso pensamento em prece para que o auxílio dos céus encontre sintonia como nossa vibração e possam os espíritos do bem nos intuir e auxiliar na luta diária. Evitemos então colocar em nossas preces diárias e de agradecimento pedidos de caráter material pois os espíritos não podem simplesmente mudar o que nosso livre-arbítrio construiu. Viver em prece é estar sempre em contato com Deus!

A prece não necessita de belas palavras mas dos mais sublimes sentimentos. Não precisa seguir um ritual, apenas necessita de concentração no amor e no bem! Sejamos pois espíritos em constante contato com Deus através da oração. Estabelecidos estes laços de amor e de bondade estaremos, então, no caminho de luz que Jesus nos ensinou.

E você, já falou com Deus hoje? Muita paz!!

 

Anúncios

2 comentários sobre “A Prece – Sabemos Orar?

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s