Vícios à Luz do espiritismo

vicios

O espiritismo nos trás o conhecimento de si mesmo como chave para a elevação moral da alma. Para isso teremos que negar todos os nossos defeitos de tal forma que depuremos nosso espírito através da reforma íntima. Mas além da alma também necessitamos de cuidar do corpo, visto que ambos estão intimamente ligados. neste artigo abordaremos as consequências espirituais dos vícios em geral.

Normalmente os vícios da humanidade são completamente materiais. Coisas como sexo, drogas, comida, luxo, consumismo, etc, se tornam mais intensos e cada vez mais presentes no cotidiano das pessoas. Tais vícios são oriundos da nossa natureza imperfeita que ainda visa o material antes do espiritual.

Sendo assim, nos tornamos cada vez mais dependentes do que nos agrada. “Pois onde estiver o seu tesouro, aí também estará o seu coração.”( Mateus 6:21), tais palavras são o primeiro alerta de Deus através de seus mensageiros para nós sobre a importância de se saber: O que eu amo?

Se a resposta desta pergunta é uma coisa material é bem provável que ainda esteja ligado demais a matéria. Tal fato é exemplificado no dia-a-dia dos encarnados. geralmente ama-se as posses e possui-se as pessoas.

O problema dessa assertiva com relação aos bens materiais e aos prazeres da carne é que os prazeres da carne são transitórios e por isso merecem um lugar menos elevado do que geralmente lhes atribuímos. Dai temos o problema referente a desvalorização do espiritual em relação ao material.

Vícios nocivos ao corpo

Para mantermos o corpo carnal é necessário alimentar-nos, socializarmos, rirmos, cuidarmos da saúde. Porém, quando aplicada energia em demasia para tais fatores, acabamos nos tornando viciados nos prazeres que estes atos nos propiciam.

Deus colocou prazer no sexo, na comida e nas atividades de nosso gosto para que pudéssemos busca-las a fim de perpetuar a espécie, de conservarmos nosso sistema corporal e para nos socializarmos. Repare que são todos processos das leis de Deus, a lei de sociedade, lei de reprodução, lei de conservação,etc.

703. Com que objetivo Deus deu a todos os seres vivos o instinto de sua conservação?

“Todos devem concorrer para os desígnios da Providência; foi por isso que Deus lhes deu a necessidade de viver. E, ademais, a vida é necessária ao aperfeiçoamento dos seres; eles o sentem, instintivamente, sem disso se aperceberem.”

711. O uso dos bens da Terra é um direito de todos os homens?

“Esse direito é consequência da necessidade de viver. Deus não poderia ter imposto um dever, sem ter dado o meio de cumpri-lo.”


712. Com que objetivo Deus pôs um atrativo nos gozos dos
bens materiais?
“Para incitar o homem ao cumprimento de sua missão e, também, para experimentá-lo, através da tentação.”
a) Qual o objetivo dessa tentação?
“Desenvolver sua razão, que deve preservá-lo dos excessos.”


Se o homem só fosse instigado ao uso dos bens da Terra, tendo em vista a utilidade, sua indiferença talvez pudesse comprometer a harmonia do Universo: Deus lhe deu o atrativo do prazer, que o impele ao cumprimento dos desígnios da Providência. Mas, através desse mesmo atrativo, Deus quis, além disso, experimentá-lo, por meio da tentação, que o arrasta para o abuso, de que sua razão deve defendê-lo.

( O Livro dos espíritos, 2ª parte, cap. V)

O prazer material sentido nessas atividades como bem vimos se deve ao fato da necessidade de que o homem às procure em prol da sua conservação em vida. O problema está que, pelo egoismo e pela fraqueza moral, o homem se entrega a vícios supérfluos e desnecessários. Um bom exemplo é o cigarro, um vicio criado pelo orgulho humano, assim como as drogas em geral, que visam a busca por sensações transitórias que espiritualmente causam enormes problemas.

Como estudamos anteriormente, o perispírito tem ligação com o corpo físico e “imprime” neste, todas as nossas atitudes de consequência física e espiritual. Se bebemos e atingimos nosso fígado físico, área semelhante em nosso perispírito sofrerá uma lesão, se fumamos e tornamos nossos pulmões não saudáveis, sentiremos ao desencarnar os sintomas de falta de ar e dor na área espiritual que ficariam os pulmões. Todas essas atitudes que ferem nosso perispírito serão sentidas pelo espírito ao passar para o mundo espiritual.

Os exageros na alimentação, bem como exageros com a busca do corpo perfeito, tornando-nos reféns disto também causam algumas impressões negativas no perispírito. Anabolizantes por exemplo, deformam e criam inflamações maléficas para o organismo e isto se reflete no espírito. Segundo André Luiz, em nosso lar, certos comportamentos criavam uma espécie de glomérulo negro, que atacava o aparelho físico do espírito por meio do perispírito. Estes glomérulos eram ligados diretamente ao sistema nervoso, de tal forma que os pensamentos da criatura ao se render àqueles prazeres carnais era o que os criavam.

Fora drogas, que tem um efeito mais violento e rápido tanto no organismo material quanto no perispírito. Tais consequências podem causar a animalização do espírito devido aos miasmas adquiridos pelos pensamentos e pelas companhias espirituais que o uso de alucinógenos e de vícios criaram.

713. Os gozos possuem limites traçados pela Natureza?
“Sim, para vos indicar o limite do necessário; porém, pelos vossos excessos, chegais à saciedade e vos punis a vós mesmos.”

714. O que pensar do homem que procura, nos excessos de todos os gêneros, um refinamento para seus gozos?
“Pobre coitado! Compadeçamo-nos dele e não o invejemos, pois está bem perto da morte!”

a) Será da morte física ou da morte moral que ele está próximo?
“De ambas.”

O homem que procura, nos excessos de todos os gêneros, um refinamento de gozos coloca-se abaixo do animal, pois este sabe parar, quando satisfeita a sua necessidade. Abdica da razão que Deus lhe deu como guia e, quanto maiores forem os seus excessos, maior preponderância ele dá à sua natureza animal sobre sua natureza espiritual. As doenças, as enfermidades, a própria morte, que são consequência do abuso, são, ao mesmo tempo, a punição à transgressão da lei de Deus.

716. A Natureza, através da nossa organização, não traçou o limite das nossas necessidades?

“Sim, mas o homem é insaciável. A Natureza traçou o limite de suas necessidades por meio de sua organização; os vícios, porém, alteraram sua constituição e criaram para ele necessidades que não são reais.”

O Vampirismo e a obsessão dos vícios

vicios 2

O mau uso dos recursos naturais ou até mesmo de drogas não necessárias ou necessárias pode causar o que chamamos de vampirismo. O vampirismo é o ato de o espírito desencarnado, que antes era viciado em algum hábito menos saudável que se tornou um vício, sugar as energias oriundas do consumo deste ou daquele ato vicioso. Espíritos que em vida foram alcoólatras pela lei de atração são levados a bares pela própria vibração. De lá eles começam a se ligar com os encarnados do ambiente, buscando roubar-lhes os fluidos das atividades viciosas.

Através de nossas atitudes atrairemos um tipo específico de companheiros espirituais. O promíscuo atrairá espíritos desta estirpe, o fumante atrairá espíritos ligados ao vício do tabaco e assim por diante. Tais espíritos se tornam tão dependentes do encarnado para manter seus vícios que eles mesmos passam a influenciar o encarnado a “ir ali tomar umazinha” ou a praticar atos que extravasam o necessário e o habito saudável. Tais hábitos desajustados podem criar uma situação de obsessão difícil de ser mudada.

Como evitar os vícios

Parece algo desnecessário, mas a maioria de nós possui algum tipo de vício nocivo a saúde em maior ou menor grau, por isso devemos ter em mente que precisamos nos conhecer a fim de que notemos nossos defeitos e nossas dificuldades. Notado isso, devemos trabalha-las, o que significa: lutar contra os arrastamentos negativos.

Se soubermos quais são nossas dificuldades teremos mais possibilidades de compreende-las e com isso aplicarmos toda a nossa energia e vontade para que tenhamos hábitos mais saudáveis e compatíveis com espíritos em evolução que somos.

Sempre é bom lembrar também que existem telefones e entidades que ajudam no combate ao tabagismo, às drogas e ao alcoolismo. deixaremos ao final alguns deles. Fora isso todos podem e devem procurar ajuda em casas espíritas para tratamentos de passes de cura concomitantemente com a busca por profissionais de saúde que possam auxiliar na luta contra as nossas fraquezas materiais. Que jesus possa ajudar-nos hoje e sempre! Muita paz a todos!

Links uteis:
Alcoólicos anônimos
Tabagismo
Drogas

 

 

Anúncios

Um comentário sobre “Vícios à Luz do espiritismo

  1. “Orai e vigiai para não cairdes em tentação”, disse Jesus, porque conhecia a fragilidade humana e sabia que poucos estariam preparados para não sucumbir quando tentados em sua vulnerabilidade, seu “calcanhar de Aquiles”, onde lhes doeriam os calos. Poucos resistiriam quando testados em suas fraquezas, em suas provas e testes, porque “o espírito sabe muito bem onde deve chegar, mas a carne é fraca.” Por isso Ele veio, para os doentes, não para os sãos; para os leprosos que quisessem ser limpos e para os cegos que desejavam enxergar. Não para aqueles que O rejeitaram e não aceitaram a cura, nenhum milagre para os que titubearam e duvidaram Dele. Por isso Ele perguntava sempre: “Que queres que eu te faça?” porque sem a vontade de ser curado, nenhum milagre é possível, nem ontem e nem hoje.

    Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s