Como Lidar com os problemas da vida?

Corporate-Veil-1050x600-1030x589

A vida é cheia de situações que nos levam da mais alta alegria a mais baixa estima. Isso se deve ao fato de nossos sentimentos estarem intimamente ligados ao nosso estado da alma. Se estamos equilibrados e felizes estaremos de bem com a vida, caso contrário estaremos sempre percebendo tudo de forma muito ruim. Para nós espíritas não é diferente.

Apesar disso temos na doutrina combustível imprescindível para nos reerguermos dos golpes que as vicissitudes podem nos dar. O otimismo para o espírita não é só um momento da alma, mas um importante mecanismo de sustentação moral. Como espíritas entendemos nosso lugar na criação e que todos os problemas são consequências de nossas ações pretéritas.

Se te encontras numa cidade violenta é porque provavelmente agiu com violência no passado e agora encontra-se espiritualmente preparado para lidar com isso de forma positiva. Se te encontras na pobreza é porque ao dispor de bens, no pretérito, não soube usa-los de maneira útil e cristã.

Consequentemente estamos sempre expiando ou experimentando algo que nós mesmos escolhemos, seja pela boa vontade ou pela dor. Algum problema que vivemos podem ser necessidades de evolução da nossa alma. Pense na pessoa que necessita muito trabalhar o seu orgulho e com isso acaba se tornando alguém que necessita de ajuda dos outros na vida atual. Outro exemplo seria o de alguém que foi fomentador de guerras e de escândalos e hoje se encontra encarnado numa cidade onde a violência causa terríveis aflições.

Estes exemplos demonstram que estamos onde deveríamos estar e os problemas que vivenciamos guardam, de alguma forma, estrita concordância com nossos próprios atos pretéritos. Ser grato pela oportunidade de refazimento diante da lei de Deus facilita a nossa aceitação por ter que experimentar tais sacrifícios.

Para passarmos por essas provações precisamos ter em mente que Deus só nos dá como provação aquilo que temos plena capacidade para suportar e vencer. Portanto temos a capacidade de passar pelo atual problema se nos esforçarmos até o nosso limite. Deus, através dos seus ministros, espíritos de luz e de moral elevada, nos conhece e sabe até onde poderemos ir em cada vivência terrena.

Para o espírita, a doutrina se torna importante base para a compreensão e apoio diante das dificuldades. Através dela temos o entendimento do porquê e com isso passamos a saber como lidar com os mais diversos reveses da vida. Através do conhecimento de nós mesmos e dos nossos defeitos, dos efeitos de nos mantermos em erro e da necessidade de evoluirmos nós acabamos tendo forças para suportar com resignação e amor as provações impostas pela lei de Causa e efeito.

Compreendendo todo o panorama, temos mais forças para lidar com os problemas e as preocupações da vida. Sentimos menos orgulho de fraquejar pois compreendemos nossas imperfeições e através da extinção gradual do orgulho de nossas atitudes, somos compelidos a buscar ajuda para as nossas dificuldades, seja em oração ou com conselhos amigos. Essas virtudes do homem que sinceramente busca a melhora espiritual nos auxiliam tanto que os amigos espirituais conseguem se aproximar de nós e nos aconselhar, através do magnetismo e dos pensamentos.

O espírita se mantém otimista pois entende que a direção é só uma: para frente e para o alto. A evolução é infinita e impossível de ser parada. Começamos a vida espiritual evoluindo e estaremos evoluindo sempre. O otimismo da alma que encontra no espiritismo seu norte é devido ao fato de através da verdade se libertar das incompreensões mesquinhas originadas do orgulho e da vaidade da alma humana. Depois de estudar, depura-se através da prática no bem e com isso passa a ver de forma completamente renovada os seus problemas.

Afinal, quem poderia reclamar das suas dificuldades ao ver outros irmãos suportando terríveis provações? Quem poderia reclamar tanto ao saber que pode ter feito algo que merecia pior e muito mais difícil reparação e , ainda assim, a justiça divina agiu com extrema benevolência e piedade da alma destruída pelo próprio fracasso.

O tempo de renovação é agora meus irmãos! Juntemos as mãos e olhemos para dentro de nós mesmos a fim de encontrar nossa essência e trabalhar para aparar-lhe as arestas. Sigamos confiantes na providência divina que nunca nos abandona e está sempre nos auxiliando junto ao nosso processo evolutivo. Lembremos de Emmanuel ao enunciar o seguinte texto:

Otimismo

Não percas o otimismo. 

O trabalho é uma benção. 

Age construindo. 

Quem serve aos outros, semeia paz e alegria para si mesmo. 

Se erraste, recomeça a empreitada da ação na qual te comprometeste. 

Não creias em vitórias do Bem, sem árduos problemas a resolver. 

Convence-te de que a dor é sempre renovação para o Bem. 

Evita os assuntos infelizes. 

Fala, auxiliando em favor da tranqüilidade e da elevação. 

Aprende simplicidade, para que não te vergues ao peso de bagagens inúteis. 

Não fujas à luta que a vida te propõe, na intimidade de ti mesmo e, atendendo ao trabalho do dia-a-dia, a fim de supera-la, conserva a certeza de que é pelas tuas próprias prestações de serviço ao bem comum que a bênção da vitória de marcará. 

Em nossa condição evolutiva, ainda não sabemos medir a resistência, uns dos outros. 

Em razão disso, guardemos a nossa dor ou a emenda que é positivamente nossa e exportemos alegria e esperança onde estivermos. 

Autor: Emmanuel
Psicografia de Chico Xavier> Da obra: Caminho Iluminado

Busquemos dentro de nós o otimismo para enfrentar os desafios! Somos mais forte do que pensamos e Deus esta conosco mais do que imaginamos. Enfrentemos nossos medos, nossas dores, nossas tristezas; enfrentemos ainda, e principalmente, a nós mesmos. Somente conseguiremos transcender aos infortúnios e aos desafios da vida se formos capazes de negarmos a nós mesmos. Desfazendo-se do orgulho e da vaidade, a criatura regenera-se e aponta seu rumo ao infinito caminhar da evolução – com otimismo e fé – em direção a Deus e a Jesus. Muita paz a todos!

Um comentário sobre “Como Lidar com os problemas da vida?

  1. Cada qual colhe o que semeou mas como não se lembra do que plantou, esperneia quando se depara com a colheita de espinhos que é obrigado a colher, entre dores e lágrimas. O Brasil foi um dos últimos países a abolir a escravidão dos homens negros. Muitos escravos, ao morrerem, perdoaram seus algozes e reencarnaram como amigos e parentes de seus verdugos para ajudá-los em sua colheita amarga. Porém muitos negros jovens, robustos e saudáveis que morreram supliciados por feitores cruéis, não os perdoaram e retornam, hoje, integrando facções criminosas, exibindo armamentos e drogas, na contramão da justiça e do direito, exibindo um pseudo poder na posse de fictícia liberdade, com o livre arbítrio de roubar, traficar e matar seus antigos senhores e suas famílias com endereço certo e GPS infalível para encontrar seus desafetos, não hesitando em tirar a vida dos chefes de famílias, seqüestrando e executando sem piedade crianças e velhos, fomentando o ódio com que reencarnaram para projetos de vingança e desforra. Por isso, o tiroteio diário nas comunidades, outrora pacífica, hoje chefiada pelos escravos de ontem, que estão utilizando o armamento que os tornam poderosos diante de pessoas pacíficas, a forma de intimidar como outrora o chicote e o tronco os intimidava. O Brasil resgata o carma coletivo da crueldade contra homens negros que foram separados de suas mulheres e filhos para serem vendidos como sacos de batata. Muitos escravos jovens testemunharam, amarrados, o estupro de suas mulheres, sem poder defende-las. Outros observaram, acorrentados e loucos de dor, seus bebês serem arrancados do seio de suas mães para serem vendidos. Por isso hoje, nós ficamos estarrecidos com tantas notícias de assassinatos, estupros, separação nas famílias por causa da violência sem limites, dos seqüestros efetuados por estes irmãozinhos que não se contentam em roubar porque renasceram para muito mais do que isso, renasceram para desgraçar quem era feliz, devolvendo ceitil por ceitil, a dor que sofreram, acreditando que a vingança os pode libertar e pensando erroneamente que a retaliação os torna fortes. Não são valentes nem estão libertos. Na verdade estão presos em si mesmos porque, ao contrário dos pretos velhos que incorporam em nome do Amor e do Perdão para ajudar os brancos a resolver seus problemas, estes antigos escravos revoltados e desorientados, renasceram para ser maus com aqueles que foram cruéis com eles. Existem no mundo países pacíficos, sem bala perdida, sem crueldade explícita, onde seus habitantes respiram todos os dias a merecida paz a que fizeram jus nas encarnações passadas. Não é o nosso nem somos nós. Brasileiros estão a dever para Deus este pesado carma da escravidão e só nos resta rezar por estes antigos escravos que morreram desesperados e reencarnaram para serem os demônios que são, barbarizando e espalhando o terror indiscriminado porque eles, não nós, são as maiores vítimas e os que mais precisam de compaixão e misericórdia. Que ELE os possa orientar no retorno ao caminho do Bem que lhes permitirá sejam não apenas livres, mas FILHOS PRÓDIGOS DE DEUS, que voltam arrependidos e cansados pelo caminho da regeneração, para o abraço do Pai e para serem bons, novamente.

    Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s