A alma e a evolução dos Animais segundo o espiritismo

muchosanimales.jpg.imgw.1280.1280

Já tivemos antes um texto sobre o assunto em que falávamos sobre a Reencarnação e Alma dos Animais por Chico Xavier.

Muito se debate no meio espírita sobre a questão animal. Seriam eles seres puros? seres com sentimentos? com alma? seriam eles o nosso passado muito antes de nos tornarmos seres individuais, pensantes e com consciência de si mesmo? Tentaremos nesse texto fazer um estudo sobre tais questões e outras mais. A  importância dos animais na criação e todo processo evolutivo desses seres até chegar à fase hominal do espírito.

Utilizaremos como base para este estudo o capítulo XI da parte II de O livro dos espíritos, onde encontramos o tema “Os animais e o Homem”.

Nesta parte do livro dos espíritos, os espíritos nos trazem a ideia de evolução de todos os reinos vivos da terra. Desde o mineral até o animal. Entende-se pelo ensinamento dos espíritos que tais formações orgânicas se aglutinam para que materiais eterizados sejam provocados a ação, criando sistemas, organismos e a vida orgânica em si.

Através dessa vida orgânica começa este material eterizado a desenvolver-se desde os sentidos mais básicos, como o instinto de sobrevivência, até os mais elevados como a inteligência básica e a criação de uma individualidade. Esta individualidade é o que torna aquela alma um espírito. O espirito é de caráter humano, pois possui sua individualidade construída e reconhecida por si mesmo. este é o futuro dos animais, evoluírem em inteligencia até alcançarem o patamar de espíritos, cuja inteligência aliada ao reconhecimento da individualidade tornam seu pensamento racional.

593. Pode-se dizer que os animais só agem por instinto?

“Há ainda aí um sistema. É bem verdade que o instinto domina, na maioria dos animais; mas, não vês que muitos deles agem com uma vontade determinada? Isto é inteligência, porém, limitada.”

O limite desta inteligência animal é devido ao processo ainda incompleto de amadurecimento de sua alma. Esta ainda passa por vivências instintivas, ou seja, vivências onde o raciocínio ainda não é um componente presente, porém está presente, adormecido e rudimentarmente utilizado em situações em que o animal associa imagens, reações e sensações à acontecimentos externos. Um grande exemplo de inteligência animal é a comunicação. Nela percebemos o desenvolvimento de um tipo de convivência social inteligente, mesmo que de forma primária, que faz a razão associar ao desenvolvimento do ser enquanto espécie social.

594. Os animais têm uma linguagem?

“Se imaginais uma linguagem formada de palavras e de sílabas, não; mas um meio de se comunicar entre si, sim; dizem entre si muito mais coisas do que supondes; a linguagem deles, porém, é limitada, como suas ideias, às suas necessidades.”

Chegamos ao ponto da questão sobre a inferioridade dos animais perante ao homem. Devemos entender que essa inferioridade não é uma questão moral pois os animais não possuem ainda a moral para comparar. Trata-se aqui da questão do desenvolvimento como um todo. Os animais estão para o homem assim como o homem está para Deus no quesito distância de evolução.

Entendendo-se que a distância evolutiva seja tamanha, entendemos também que o animal ainda encontra-se num estágio de evolução muito inferior ao do homem, evidenciada a resposta da questão a seguir onde o livre-arbítrio dos animais é comparado ao do homem:

595. Os animais possuem o livre-arbítrio de seus atos?

“Eles não são simples máquinas, como o imaginais; a liberdade de ação deles, porém, é limitada às suas necessidades e não pode se comparar à do homem. Sendo muitíssimo inferiores a ele, não têm os mesmos deveres. A liberdade deles está restrita aos atos da vida material.”

Entendido essa questão, podemos agora desenhar a escala evolutiva das almas, desde os princípios vitais mais primitivos até o arcanjo. Chegamos agora num ponto chave da discussão. Os animais tem alma?

Os animais possuem sim uma alma, com um limitado livre-arbítrio e um primitivo senso de raciocínio. Eles vivem mais presos ao instinto e , conforme vão evoluindo, depuram este senso. Segundo o Livro dos espíritos nas perguntas a seguir destacadas, os animais possuem um estado latente de inteligência, que a cada vivência física lapida-se até o refinamento completo possibilitar a esta alma uma transição entre alma animal e alma hominal:

597. Visto que os animais possuem uma inteligência que lhes
dá uma certa liberdade de ação, haverá neles um princípio independente
da matéria?

“Sim, e que sobrevive ao corpo.”

a) Este princípio é uma alma semelhante à do homem?

“É também uma alma, se o quiserdes, dependendo do sentido que se dê a esta palavra; ela é, porém, inferior à do homem. Há entre a alma dos animais e a do homem distância igual àquela existente entre a alma do homem e Deus.”

598. A alma dos animais conserva, depois da morte, sua individualidade
e a consciência de si mesma?

“Sua individualidade, sim; não, porém, a consciência do seu eu. A vida inteligente permanece em estado latente.”

Sendo os animais seres viventes e com alma é de se esperar que possuam uma espécie de vida após a morte. De fato existe neles a vida na erraticidade, diferente da dos espíritos hominais, que serve para propósitos destintos do nosso:

600. A alma do animal, sobrevivendo ao corpo, depois da morte, fica num estado errante, como a do homem?
“Fica numa espécie de erraticidade, já que não está unida a um corpo; não é, porém, um espírito errante. O espírito errante é um ser que pensa e age por sua livre vontade; o dos animais não dispõe da mesma faculdade; a consciência de si mesmo é o atributo principal do espírito. O espírito do animal é classificado, depois da morte, pelos espíritos incumbidos disso e, quase imediatamente, utilizado; ele não tem tempo de se relacionar com outras criaturas.”

Portanto os animais progredem conforme suas vivências de maneira quase mecânica, visto que não possuem ainda uma consciência de sua individualidade e agem muito mais por instinto e uma inteligência ainda adormecida os guia em sua jornada. Ao progredirem, depuram ainda mais a sua alma até alcançarem o status de alma hominal, num processo que dura milênios.

601. Os animais seguem uma lei progressiva, como os homens?

“Sim, e é por isso que, nos mundos superiores, onde os homens são mais adiantados, os animais também o são, dispondo dos meios de comunicação mais desenvolvidos; eles, porém, são sempre inferiores e submissos ao homem; são, para ele, servidores inteligentes.”

Com isso, entendemos mesmo que de forma superficial, que os animais são os homens de amanhã, numa escala de tempo estendida para além da nossa atual realidade. São seres menores que necessitam do nosso amor e nossa proteção a fim de subirem a escala evolutiva conforme as leis da natureza e que vivenciam como nós, em uma escala muito menor as vivências naturais que depuram o ser que um dia terá despertada a inteligência consciente que possui.

Sugerimos um estudo mais aprofundado das questões e do capítulo aqui utilizados como referência, a fim de que o entendimento dos caros leitores seja ampliado acerca de tal assunto tão pertinente e interessante. Sejamos gratos a Deus pelos animais e sua perfeita utilidade na criação, sejamos nós o arcanjo de amanhã, tal como o animal será o homem de amanhã. Muita paz a todos!

Anúncios

19 comentários sobre “A alma e a evolução dos Animais segundo o espiritismo

  1. Na condição de Espírita, há algumas décadas, sempre imaginei que iria desencarnar plenamente inserida no contexto da Codificação, sem questionar nenhuma vírgula ou til, isto é, aceitando de cabeça baixa tudo o que pesquisadores e professores nos legaram. No entanto precisei questionar alguns quesitos sim, atendendo à minha consciência, razão e sentimento ou não teria lógica pensar com a própria cabeça se aceitasse tudo o que outras cabeças já pensaram. Como Protetora de (todos) Animais impossível seria não estranhar a contradição existente nos discursos do alto das tribunas das Casas Espíritas e a realidade nua e crua da vida, isto é, o fato paradoxal de espíritas se referirem aos animais como seus irmãos, especificando, no entanto quais são para ser amados e quais são para serem comidos. Não vou desencarnar totalmente ESPÍRITA ou estaria mentindo quando atuo na área da Proteção Animal, reconhecendo em todos eles, seres sencientes, meus irmãos de verdade, cujos sentimentos muitas vezes são superiores aos de humanos depravados e cruéis. Impossível admitir que espiritualistas, aqueles a quem mais foi concedido em matéria de esclarecimento, justamente esses não se tenham ainda esclarecido na matéria compaixão, preferindo acomodar-se com a prática milenar, obsoleta e bárbara do consumo de carne provinda do cadáver de um animal tão importante quanto seu cão ou gato de estimação e tão merecedor de viver quanto eles. Porém os tempos já chegaram, o futuro é hoje e nenhum Mundo Regenerado nos aceitará com as mãos sujas do sangue inocente de irmãos que deveríamos conduzir, orientar e proteger mas não pensamos sobre, dá trabalho. Muitos espíritas, incapazes de refletir neste assunto polêmico, preferem dar as costas, enumerando argumentos incompatíveis com suas exortações em favor da Vida, como se a vida de um boi, no matadouro não fosse uma vida respirando em um corpo que sente dor e sofre tanto quanto nós. Muitos espíritas alegam desculpas esfarrapadas, como por exemplo, no futuro seremos vegetarianos mas por enquanto ainda somos atrasados. Realmente espíritas escolhem não evoluir, porque muito difícil para eles ter a coragem de renunciar ao churrasco, ao bife, à canja de galinha, à costelinha porque não se tocam de que tudo isso pertencia a seres que denominam irmãos, mas que manipulam como objetos. Muito difícil e desconfortável para eles, por isso recorrem ao fato de que Chico Xavier comia carne, então vamos nos fartar dela. Se Chico Xavier comesse cachorros, teríamos que comê-los ou será que ainda não aprendemos a pensar com a própria cabeça e a sentir com o próprio coração? Se Chico Xavier apreciasse uma cachaça, teríamos que bebê-la? Será que a leitura das obras espíritas nos obstruiu a capacidade de ter olhos para ver que toda a vida é sagrada e ninguém tem o direito de tirá-la sob qualquer pretexto mesmo para matar a própria fome tendo em vista que ninguém mataria seu irmão para consumir o seu cadáver, ainda que só houvesse esse alimento no mundo? Inaceitável e paradoxal que espíritas considerem IRMÃOS todos os seres, porque estão fazendo isso da boca pra fora, já que a teoria na prática é o festivo almoço de domingo onde fumegam nas panelas os pedaços de irmãozinhos que morreram para espíritas e não espíritas almoçarem “na paz de Deus”. Preferível então, espíritas cristãos continuarem sua prática de alimentar-se de animais, porém tendo a honestidade de continuar defendendo o Valor da Vida de todos os seres, e de considerar todos os seres como IRMÃOS, informando a exceção para bois, vacas, porcos, patos e galinhas porque, esses, Chico Xavier degustava com satisfação cada garfada, então obedeçamos.
    “O que contamina o homem não é o que entra na boca, mas o que sai da boca, isso é o que contamina o homem.” Mateus 15:11. Perfeito e corretíssimo: o termo NOSSOS IRMÃOS OS ANIMAIS quando sai da boca humana estará contaminado pela mentira, a não ser que esteja coerente com suas obras e convicções, isto é, com o que vai servido no seu prato, se estiver isento do sangue e das vísceras de “irmãos”; do contrário é aquela “conversa mole para boi dormir”.

    Curtir

    • é um processo que a cada um será conforme seu nível de aprendizado e evolução, n podemos julgar isso se em outros aspectos do espectro todo nós falhamos, cada um tem um acumulo enorme de faltas. paradoxal considerarmos irmãos uns dos outros e acabarmos julgando o que outros fazem, nem Jesus fazia isso, ele compreendia o momento de cada um como o aprendizado necessário. Dia se fará que nem materialmente nossos corpos irão mais utilizar-se da proteina pesada. esse dia só chegará quando depurarmos a nossa moral. tudo começa pela moral, n adianta n comer proteína animal e continuarmos a julgar os irmãos ou a negarmos auxílio aos irmãos homens por qlqr motivo que seja, estamos muito a quem ainda do que precisamos ser por isso a cada um segundo seu ritmo e cada um se preocupando em fazer a sua parte unica e exclusivamente que o resto vai conforme cada caso específico. um dia todos chegaremos no mesmo lugar, cada um escolherá um caminho que no final levara ao mesmo destino. por isso devemso deixar que todos sigam conforme seu entendimento, julgar é algo que sempre nos atrasa a marcha evolutiva. Quem hj encontra-se em determinado nível é pq ainda tem outras coisa para trabalhar assim como nós espíritas temos outras.

      Curtir

      • É claro, meu irmão, que “um dia” seremos melhores do que somos e não julgamos ninguém não, sejam religiosos ou ateus. No entanto há que se ter coerência nas palavras dos enunciados pois o estranhável é que nós, espíritas, defendamos a vida, contra o aborto,a pena de morte, a eutanásia e o suicídio enquanto mastigamos um sanduíche de presunto ou uma lasca de churrasco que eram uma vida também. Toda a vida é sagrada ou será que a vida de um porco ou a vida de um boi não são?! Um feto abortado propositalmente é mais sagrado do que qualquer outro projeto de vida no ventre de sua mãe de qualquer espécie? Qual o critério adotado para se defender vidas se as humanas devem ser preservadas e as de outras espécies, criadas por Deus, não devem? Esse é o calcanhar de Aquiles dos espíritas que se embaralham sempre que indagados à respeito e se contradizem porque não sabem responder e nem estão aí para o quesito compaixão, quando se trata de animais que morrem para virar almoço. Sempre foi assim mas já não precisa ser mais. Vegetarianos possuem ainda milhões de defeitos, imperfeições, pecados, falhas e deformidades morais inomináveis às vezes, no entanto nos orgulhamos de nos compadecer e chorar diante de animais que sofrem, quando são maltratados, torturados e mortos para se transformarem na comida que já não comemos porque nos alimentamos do que a Natureza fornece, abundante, rica, exuberante e farta. Também somos contrários à eutanásia, à pena de morte, ao suicídio e ao aborto porque somos à favor da Vida, no entanto a diferença está em que conseguimos enxergar Vida em qualquer espécie animal, não apenas a humana que nem sempre merece ser enaltecida, valorizada e defendida. Animais não nasceram para escravos de humanos, principalmente de humanos esclarecidos, quanto se espera que espiritualistas cristãos já o sejam, isto é, para quem a compaixão, a caridade e o amor deveriam ser incondicionais e irrestritos quando se trate de defender animais também.
        Felizmente alguns espíritas já entenderam isso e não se arrependeram de considerar animais, os amigos e irmãos que são, diante de Deus.
        http://serveg.blogspot.com/2015/10/asseama-o-centro-espirita-dos-animais.html
        https://asseama.org.br/
        http://www.nossolar.org.br/nossolar/n_tema22.php
        http://www.gffa.org.br/alimentacao-vegetariana.php
        https://www.veg11.com.br/comportamento/move-movimento-vegetariano-espirita
        http://animaiseoespiritismo.blogspot.com/2013/02/o-espirita-deve-ser-vegetariano.html

        Curtir

      • a própria doutrina responde seus questionamentos no capítul o”lei de destruição”, e mesmo assi mconcordo que devemos buscar da melhor forma que pudermos alinhar nossas práticas com as nossas creças. Alías ser espírita e estar 24h por dia 7 dias da semana tentando fazer esses ajustes e nunca conseguindo pois aquele que conseguir fazer todo esses ajustes numa so vida vai dar um salto evolutivo tremendo realmente. mas conforme nossas capacidades vamos melhorando. Se melhorarmos 1% que seja nesta vida ja vale a pena. acredito que este “um dia” n está tão longe , vemos cada vez mais que as pessoas se preocupam com assuntos delicados que antes nem sequer se discutiam. a ciencia evolui tbm nos ajudando a descobrir maneiras mais saudáveis de se viver! estamos progredindo aos nossos passos

        Curtir

  2. Boa noite!
    Os animais têm “amigos imaginários” como as crianças?
    Eu tenho um gato de 4 anos que tem agido como se estivesse brincando com outro gato.
    Não é a primeira vez que isso acontece.
    Em algumas vezes o meu marido alegou ter “visto” algo como uma sombra com rabo.
    Isso é possível?
    Ou há algum espírito “brincalhão” se passando por outro animal?
    Preciso me preocupar?
    Desde já agradeço.

    Curtir

    • Susan obrigado pela participação. Em algumas obras diz-se que os animais tem uma certa sensibilidade e percepção do mundo espiritual em algumas espécies, podendo inclusive vislumbrar o mundo espiritual.

      Curtir

      • Felipe, obrigada pelo retorno.
        E quanto a esse “ser” que tem vindo brincar com o meu gato e que o meu marido viu como uma sombra com rabo?
        Pode um animal desencarnado sentir essa afinidade por outro vivo a ponto de frequentar a casa onde este vive e várias vezes? Eu li no artigo acima que o espírito animal não é errante e reencarna quase que imediatamente.
        Obrigada,
        Susan

        Curtir

      • bem até então os estudos mostraram que os animais n costumam ficar errantes pro muito tempo e quando o ficam são normalmente por tempo limitado e em colônias espirituais.

        Curtir

  3. Discordo de que (todos) os animais reencarnam quase que imediatamente. Muitas aparições de humanos são acompanhadas do seu animal de estimação (cão ou gato) o que comprova que ele vive com seu tutor no Mundo Espiritual há algum tempo para aprendizado mútuo. Na colônia espiritual Nosso Lar, André Luiz descreve as “aves de plumagens policromas, que cruzavam os ares”. “Observando o movimento do parque, identificou ali animais domésticos”. “A caravana socorrista constituída pelos Samaritanos possuía seis grandes carros, formato diligência que, precedidos de matilhas de cães alegres e barulhentos, eram conduzidos por animais semelhantes aos muares terrestres. Bando de aves de corpo volumoso voavam à curta distância, acima dos carros. Eram chamadas íbis viajores, excelentes auxiliares dos Samaritanos, por devorarem as formas mentais odiosas e perversas emanadas das regiões umbralinas”. Se as árvores, as flores, os humanos e as cachoeiras têm seu tempo de crescer, florir, frutificar, estudar, aprender e trabalhar no Mundo Espiritual, porque animais não teriam seu tempo também, hein galera?!

    Curtir

    • mas tem, mas a grande maioria é quase imediatamente. alguns outros animais no mundo espiritual são formas pensamento plasmadas tbm. pq os animais evoluem reencarnando e passando pelas mais diversas necessidades da natureza.

      Curtir

      • Formas pensamento existem, claro, mas diferem da água para o vinho dos seres espirituais “verdadeiros”, humanos e animais. Animais citados na colônia Nosso Lar, por André Luiz, obviamente não são formas pensamento, assim como os Samaritanos são REAIS porque se não houvesse uma distinção entre formas pensamento e seres reais, o Mundo Espiritual seria um “samba do crioulo doido” com todo mundo sem saber quem era real e quem não era. Principalmente os animais domésticos desencarnados que podem ser úteis aos humanos, seja trabalhando com eles na seara do Bem ou simplesmente sendo a companhia de seus amados tutores, não podem nem devem reencarnar imediatamente. Se acreditamos reencontrar nossos parentes amados após o desencarne, não devemos descrer que encontraremos aqueles animais queridos que nos salvaram da depressão e até mesmo do suicídio com seu amor incondicional e seu total devotamento mas que partiram antes de nós. Todo amor é sagrado e não se pode quebrar elos com reencarnações precipitadas de animais que foram muito amados por seus tutores e jamais esquecidos. Claro que espécies como peixes, abelhas, formigas, etc., cuja constituição perispiritual é mais primitiva e não possuem elos afetivos com humanos reencarnam sim, imediatamente, porque lhes constitui necessidade prioritária evoluir em novos corpos mais adiantados. Porém o amor puro e sincero entre animais e humanos tem o poder de reunir, ambos, na Pátria Espiritual, POR UM CERTO TEMPO, até que se refaçam do cansaço da “viagem” nos braços uns dos outros, como amigos e irmãos que sempre foram, compartilhando o Céu de “estarem juntos”, até o próximo capítulo.

        Curtir

  4. Concordo, de certa forma, com a questão dos animais em nossa alimentação. Acredito que, pior do que comer animais, é a forma cruel como esses animais são criados e abatidos. É realmente horrível. Galinhas que passam a vida inteira numa gaiola minúscula, bois sendo marcados com ferro em chamas e etc. É mesmo horrível. Também sei que os animais parecem muito mais evoluídos do que muitos humanos. Mas os homens arcam com as consequências de suas maldades, ao contrário dos animais, que não têm maldades. Acredito mesmo que o vegetarianismo seja uma forma de evolução.
    O espiritismo vai evoluindo, assim como o espírito evolui.
    A forma de se propagar o vegetarianismo não pode ser imposta, não é pela força, pelo grito. E é isso o que o Felipe argumentou. Se você não come carne, ótimo, propague sua mensagem com calma e com sabedoria. Até porque em outros aspectos de sua vida, você pode estar errando feio também.
    E há o paradoxo: se todos fossem vegetarianos, não poderíamos ter nossos gatos e nossos cachorros. Eles não sobrevivem sem proteína animal. Ração não é feita de rúcula.

    Curtido por 1 pessoa

  5. Muito interessante o texto e a discussão, realmente edificante, sou espírita desde pequeno ( e desde lá já compreendi que ser espírita é ser crítico também e que a codificação bem como qualquer outra obra complementar deve ser estudada racionalmente de maneira ativa e jamais ser considerada enquanto dogma) e esse ponto é algo que sempre me traz um grande interesse, desde de pequeno sempre criei em casa vários animais, e muita coisa fez sentido com esse texto e discussão, um ponto muito pertinente é a alimentação, não acredito que o estilo de vida vegano ou o vegetarianismo bem como a alimentação onívora dizem muito sobre a evolução dos seres humanos, a evolução humana parte em termos consciências das nossas ações frente ao nosso entorno e para conosco mesmo, ser espírita vai muito mais além do que colocamos em nosso prato, ser espírita é um estilo de vida que está envolvida em decisões/ ações frente a sociedade e a si mesmo, o veganismo enquanto estilo de vida tem levantado muitas contribuições a reflexão de nossa prática enquanto humanos frente a sociedade e tem contribuído bastante para nós, mas existem outras correntes que tem convergido para tal e tem atingido assim como o veganismo uma massa, em todos os pontos de convergência tem levado ao homem acordado para um ou para outra para acolher e usar como filosofia de vida qualquer uma das visões de mundo, mas isso depende muito da consciência de cada ser humano, para nós nos resta acolher e esclarecer a todos a esse despertar, é um nadar contra a maré e o espiritismo enquanto estilo de vida está nesse cardume também combatendo o materialismo exacerbado, acolhendo e consolando. Outro ponto a esclarecer é que nem todos os animais são sencientes. e que todos estão em estado evolutivo, como todos os serem em nosso planeta. Haverá um momento em que não precisaremos mais se alimentar, quanto menos denso o nosso corpo físico vai ficando menos teremos necessidades materiais e alimentícias acredito que é emergente termos consciência disso e que precisamos romper com muitos hábitos socialmente adquiridos para superar juntos várias realidades pela qual temos que enfrentar diariamente.

    Curtir

    • O momento da mudança, caro Pedro Vitor, é agora. Estamos em plena fase de Transição e seremos cobrados, sim, pela falta de caridade que temos demonstrado com alguns animais ao contrários daqueles de estimação que vivem sob o nosso teto, abrigados e felizes. Dor é dor e morte é morte, incoerente proteger alguns animais e esquartejar outros, tão inocentes, puros e bons quanto nosso cão e gato tão amado. Espíritas já deveriam ter percebido isso, quer por intuição ou por índole porque bebês já estão nascendo sabendo disso, e antes de alfabetizados estão “discursando”, em lágrimas, diante de pais espantados, que não vão comer os pedaços de animais que estão no prato, porque eles são amigos. Veganismo, prezado Pedro Vítor, já é uma tendência no mundo, a crescer todos os dias, informe-se. Artistas e celebridades nacionais e internacionais estão arrastando seus fãs e seguidores para essa filosofia de vida que exclui cadáveres do cardápio. Países no mundo inteiros se posicionam a favor do veganismo porque impossível alcançar o Mundo de Regeneração, caminhando sobre inocentes mortos e com a pança cheia da gordura e víscera deles. Incoerente nos posicionarmos contra o aborto, a eutanásia, à pena de morte e ao suicídio, compactuando com a matança longe dos olhos e do coração, nos matadouros, onde animais criados por Deus exalam seu último suspiro, sem que ninguém se apiede deles ou se importe com a sua dor. Que espécie de caridade nos norteia e que amor é esse que sentimos apenas por alguns, mas por outros não?
      http://veganize.com.br/medicos-veganos-norte-americanos-que-voce-precisa-conhecer/

      https://anda.jusbrasil.com.br/noticias/376454508/conheca-os-9-paises-mais-veganos-do-mundo
      https://www.sejavegano.com.br/
      http://noticias.r7.com/blogs/patas-ao-alto/saiba-de-onde-vem-a-carne-de-baby-beef-ou-vitela/2014/04/09/

      Curtir

  6. Estive pesquisando sobre o assunto, encontrei sua matéria. O STF tomou ontem uma decisão, drástica, a favor do sacrifício de animais em rituais.
    Qual a posição dos espíritas sobre o assunto?
    Não vi nenhuma site, entidade, autoridade ou ONG se posicionar.

    Curtir

    • Espera-se mais, de religiosos, que não seja a prática obsoleta, ignóbil e cruel de sacrificar animais para presentear Entidades em troca de favores. Adeptos dessa prática, que derramam sangue inocente sobre altares de pedra, não diferem do psicopata que envenena cães ou mata gatos à pauladas na esquina. Maus tratos de animais é crime, não importa onde seja morto e qual o autor, estão fora da Lei os que matam animais seja qual for o motivo. Animais são irmãos do caminho, que precisam ser salvos, amados, abrigados e ensinados a evoluir, assim como pretendemos crescer. Tradições afro que precisam externar “religiosidade” com sangue, sofrimento e dor, estão muito longe de Deus e cada vez mais distante do direito de serem chamados Filhos Dele. Religião que é contra a vida, é contra Deus. Já chega de matança, se sempre foi assim, está na hora de acabar, porque Entidades evoluem conforme humanos deixam de ser bajuladores, interesseiros, desalmados e maus. Deuses do bem estão ao lado dos Protetores de Animais, aqueles que dão o próprio suor e sangue, e às vezes perdem a própria vida tentando salvar um “simples” cão. Esses humanos são de Deus, são do Bem e da Caridade, ainda que sejam ateus.
      http://www.ogritodobicho2.com/2019/03/fabio-chaves-stf-autoriza-sacrificio-de.html

      Curtir

  7. Por definição os animais são a base abismal do futuro Espírito que habitará um corpo dotado de inteligência (homem).Pela criação os animais são na sua maioria carnívoros e agressivos pelo instinto, dando essa base irracional ao futuro de sua evolução,gerando assim no instinto humano essa condição.Poderíamos admitir que houve um erro na criação? uma vez que se a base fosse de AMOR e UNIÃO entre outros benefícios de base , nós seríamos menos agressivos?????

    Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s