Brasil em Crise: Oremos pela nação!

programa-cristc3a3o-como-cidadc3a3ojustic3a7a-e-amorbrasil-fe-em-jesus

Vivemos uma grave crise política e social no Brasil ultimamente. Uma operação da polícia federal vem abrindo os olhos da população para gestões fraudulentas e corruptas na administração material da pátria do evangelho. Seria um quadro apocalíptico não? Não para a fé espírita!

Veja bem, sabemos estar numa era de revolução espiritual do orbe terrestre. Estamos passando por constantes mudanças e muitos pensamentos arcaicos estão sendo desconstruídos a fim de um mundo mais justo e igual. Nesse contexto de renovações de ideias e pensamentos surgem as empreitadas da justiça terrena em meio a escândalos políticos e sociais que afrontam a dignidade humana em sua mais obscura face.

Sendo nós todos espíritos em evolução num mundo de provas e espiações é de se esperar este tipo de situação. Essa crise que agora nos atormenta é fonte de inúmeros ensinamentos e questionamentos sobre a nossa forma de sociedade e o que devemos aprimorar ou mudar. É nossa responsabilidade modificar o cerne do entendimento humano sobre as questões de responsabilidade social, o famoso amar ao próximo. Entender que tamanha bagunça elaborada por pessoas que ainda vivem o egoismo impuro a custas da lagrima e sangue alheio e não fomentar a onda de raiva e ódio que vem se propagando nestes tempos obscuros. A oração é tão potencial energético que os espíritos nos aconselham a utiliza-la dada a força motriz que alavanca o auxílio espiritual oriundo de tal prática.

Nossa função como espíritas:

Como espíritas e cristãos devemos proceder de forma pacífica porém não passiva. Devemos exigir nossos direitos enquanto sociedade mas lembrando sempre do nosso maior exemplo de amor e justiça: Jesus Cristo.

orando-pelo-brasil

Neste contexto devemos sempre recorrer à oração pois esta tem o poder incrível de auxiliar na realidade de forma coerente e dentro das leis de amor e caridade de Deus. Sejamos aquele que apazigua e não fomenta a revolta, que luta de forma pacífica e respeitosa, que não se iguala a pessoas que por ventura estão recorrentes no erro da vida material e que a nossa compaixão, prece e amor vençam essa torrente de negatividades.

Somos um país riquíssimo em amor, benevolência e caridade. Sejamos, pois, exemplos de que em toda crise e toda escuridão que nos acerque, que todo mal que nos condene seja dissipado com a devida utilização da prece nos conectando com o mundo maior onde, sem dúvidas, seremos atendidos pelos nossos amigos benfeitores maiores!

Muita Paz!

Credo segundo Bezerra de Menezes

“Credo” na versão de Bezerra de Menezes para sua família

Alexander-BezerraDeMenezes2012

A família de Bezerra de Menezes escandalizou-se ao saber que ele tornara-se Espírita. Escreveram, então, uma carta onde o acusavam de se entregar à religião dos demônios.

Bezerra respondeu com uma argumentação incrível onde usava a prece ‘Credo’ (Creio em Deus pai todo poderoso) como argumento, porém de forma diferente. modificando algumas palavras.

Credo – Bezerra de Menezes

“Creio em Deus Pai todo poderoso, criador do céu e da terra, creio em Jesus Cristo Seu direto filho nosso senhor e redentor. Creio que a igreja foi constituída por ele para ensinar a sua santa doutrina e que é assistida pelo espírito santo nesse santíssimo mistério.

Creio na comunhão dos santos, na ressurreição da carne, na vida eterna, não creio na lenda de anjos decaídos por que crer nisso valeria por negar a onipotência e onisciência do senhor.

Não creio que o mal possa vencer o bem eternizando-se como este no reino de Satanás, não creio que o espírito criado pelo senhor possa fazer lhe frente resisitir-lhe e destruir os planos e ver que o senhor permita isso, servindo-se do rebelde para castigar o rebelde por que nesse caso Deus não criou o homem para o bem e felicidade.

Não creio em penas eternas por que Deus é Pai, não creio na infalibilidade do Papa por que assim teríamos um Deus no céu e outro na terra, e a comunhão dos santos significa para mim a comunhão dos espíritos. Eis o meu Credo e digo-lhe que tenho fé viva e esperançosa, esperança firme de subir com ele à sociedade de Deus na eternidade.

Pouco nós resta de vida, a mim e a você, pouco nos falta para nos encontrarmos quando livres da obsessão da carne possamos conhecer se tenho ou não razão.

Paz e amor em Jesus Cristo nosso senhor.”

Adolfo Bezerra de Menezes.

1280px-LLDE_cep_vigne.jpg

Porque devemos perdoar?

oracao

Quantas vezes nos deparamos com situações em que o próximo nos ofende, nos calunia e nos humilha? quantas mágoas guardamos de irmãos menos esclarecidos ou de pessoas que acabam se descontrolando e descontando em nós toda a amargura que sentem?

Então Pedro aproximou-se de Jesus e perguntou: “Senhor, quantas vezes deverei perdoar a meu irmão quando ele pecar contra mim? Até sete vezes?” Jesus respondeu: “Eu digo a você: Não até sete, mas até setenta vezes sete.
Matheus 18:21-22

Entendemos pois que o perdão segundo Jesus Cristo, nosso mestre, seria algo extremamente importante para a nossa marcha no progresso espiritual. Listamos alguns motivos pelos quais isso seria verdade:

Quem perdoa se liberta

-

O perdão é uma das coisas mais libertadoras que alguém pode fazer. A falta de perdão é como uma pedra amarrada na perna de alguém, que a arrasta para o fundo do mar. Aquele que perdoa tem em si quebradas as correntes do rancor, da mágoa, do ódio e da vingança.

Simplesmente a pessoa ao perdoar se livra de um peso que não merece e nem precisa carregar. Imagine pois que se um irmão de caminhada lhe ofende de que ajudaria tanto a ti quanto a ele guardar rancor de uma situação que nada poderá mudar? Acaso somos tão perfeitos assim que não cometemos erros e também decepcionamos outras pessoas? e se fosse o inverso não gostaríamos de ser perdoados para que possamos melhorar enquanto espíritos em evolução? Devemos sempre pensar que um dia somos vítimas mas também poderemos noutro ser algozes.

Quem perdoa evolui

Essa questão é tão importante quanto a anterior. Imaginemos que para perdoarmos quem nos ofendeu precisamos de pelo menos um pensamento voltado para a empatia e a caridade e sendo esta última a salvação mencionada por Allan Kardec temos então através do perdão sincero uma ferramenta de grande valor para a evolução moral e espiritual do indivíduo.

Quem perdoa cria laços

perdao

Pode parecer difícil ,no momento, para cada um de nós entender essa expressão afinal, quem criaria laços com o assassino que tirou a vida de um ente querido? Pois bem meus irmãos, não é necessariamente um laço de amor como o que vivemos com os espíritos afins. Porém entenda que, ao perdoar, você se torna diretamente responsável pela sua evolução e a evolução do ser que você acaba de perdoar. Este ato de caridade não reflete somente em quem perdoa mas também em quem se beneficia deste perdão. 

Por vezes um ato de perdão pode ser o estopim para uma mudança interior tão sensível em um indivíduo brutalizado que o seu laço com aquele pequeno salto espiritual será eterno.

Sinto dificuldade em perdoar…o que devo fazer?

Simples: Ore! ore muito, Deus em sua infinita compreensão e justiça sabe que cada um de nós tem suas limitações e ele não espera que ignoremos isso. Para Deus o valor do perdão se dá quando este é realmente sincero e faz a ofensa virar ensinamento e a mágoa virar compreensão e amor. 

Se acaso um irmão vos ofendeu e não consegues perdoa-lo, ore e peça a Deus que seu espírito tenha compreensão para que um dia possa perdoar o infeliz ato que possam ter praticado contra ti. lembre-se por vezes você também foi quem precisou de perdão.

Exercitamos o perdão meus irmãos e esperemos que Deus nos perdoe sempre que cometermos nossos erros tão necessários à nossa evolução. Muita Paz!

Mensagem de ano novo – Espiritismo da Alma

feliz_ano_novo

Mais um ano termina e outro se inicia. Mais um ciclo tem seu fim e um novo ciclo começa a surgir em nosso horizonte. Ante as novas etapas de nossas vidas pode bater aquele medo, aquela ansiedade ou aquela felicidade. Independente da situação em que se encontre lembra das palavras do senhor Jesus:

Bem-aventurados os mansos, porque eles herdarão a terra;
Bem-aventurados os que têm fome e sede de justiça, porque eles serão fartos;
Bem-aventurados os misericordiosos, porque eles alcançarão misericórdia;
Bem-aventurados os limpos de coração, porque eles verão a Deus;
Bem-aventurados os pacificadores, porque eles serão chamados filhos de Deus;
Bem-aventurados os que sofrem perseguição por causa da justiça, porque deles é o reino dos céus;
Bem-aventurados sois vós, quando vos injuriarem e perseguirem e, mentindo, disserem todo o mal contra vós por minha causa.

(Matheus, 5:11)

Sejamos gratos por TUDO que passamos neste ano, até aquilo de pior que tivemos, pois sabemos em nossa doutrina que não há mal que venha que não termine em bem. Entendemos que aquilo tudo de ruim que possamos ter passado este ano foram aprendizados, dívidas, necessidades que precisavamos para a nossa evolução moral e espiritual. Cultive o amor e a fé e colherá o amor e a fé.

Se te encontras aflito e injustiçado saiba: a justiça divina NUNCA falha e todos seus atos bons nunca passam desapercebidos de Deus e da espiritualidade protetora.  Então porque temer? Basta sorrir e lembrar que a cada um segundo as suas obras e se você está fazendo o máximo de si para o esforço de evoluir, ser melhor, um pouquinho que seja, hoje mais do que ontem. 

Faça planos, comece a realizar seus sonhos, busque seus objetivos, trace metas. “este ano eu vou conseguir…”; “este ano eu vou fazer o melhor de mim…”…

Isso tudo ajuda mesmo que devagar a nos levar a crer nas mudanças e coloca-las em prática ao nosso tempo. No novo ano que se inicia pense no que gostaria de ter feito no ano anterior e busque isso neste ano.

Para a espiritualidade um ano novo é tempo de renovação de cada um, tempo de tentar refazer aquele velho relacionamento familiar que está a muito mastigado pelas paixões mundanas, tempo de perdoar aqueles que lhe ofenderam, tempo de agradecer muito por tudo que recebeu, tempo de deixar para trás o que já não podemos mudar e olhar para frente para tudo aquilo que devemos melhorar!

Um Feliz ano novo!

Muita paz!

Por que as pessoas parecem mais felizes no Natal?

Manjedoura1

Tenho certeza de que muitos já se perguntaram por que o clima natalino é tão diferente do resto do ano. Vemos as pessoas mais sorridentes e, apesar dos males do mundo e da desgraças humanas, vemos no Natal , famílias em geral se reconciliando e deixando de lado suas diferenças, mesmo que por uma noite, para comemorar o aniversário de Cristo.

Primeiramente temos que pensar que o natal não é a parte comercial que o homem criou (papai noel e troca de presentes) mas sim uma festa de confraternização onde as pessoas podem expressar seus sentimentos de alegria em estarem unidos. Mas de onde vem todo este sentimento? A resposta é simples porém maravilhosa.

Em época de natal, Jesus Cristo, governante do planeta terra e espírito de maior envergadura moral que já tocou a terra, desce para mais próximo da crosta e se aproxima de nós, observa a evolução que havemos alcançado e tal é o magnetismo de Jesus que somente por sua aproximação o clima na terra por si só se ameniza energeticamente falando.

Isso se deve ao fato de sendo ele um ser de grande potencialidade espiritual e elevada moral dentro dos padrões de Deus nós magnetiza com a energia pura e boa que emana de seu ser. Isso nos traz a oportunidade de curar as nossas próprias falhas retificando atitudes menos felizes, ou de esquecer as faltas alheias para conosco, de perdoar, de sorrir, de esquecer os problemas mesmo que um pouco.

Natal é a festa mais cristã que existe no planeta e por ela os espiritos do bem utilizam as boas vibrações que emanamos de pensamentos felizes para criações magníficas no reino do bem e do amor.

Por isso alegremo-nos no natal, a fim de aproveitar ao máximo essas boas vibrações que vem de nosso senhor, para qu
e a paz reine na terra. Abraços fraternos a todos!

Por que sofremos tanto?

sss

Atualmente, com tantas calamidades sociais e com tantos problemas pessoais é muito comum escutarmos de amigos, parentes ou de nós mesmos a frase: “por que sofro tanto?”. Primeiramente seria bom estabelecer algumas diretrizes para esta discussão.

O verbo sofrer indica sentir (dor física ou moral); padecer, ter sintomas. Então podemos estabelecer que o sofrimento é um sentimento inerente da natureza da vida. Qualquer ser vivo pode experimentar o sofrimento, seja ele físico ou seja ele psicológico. Vemos exemplos na vida: uma mãe que chora pela perda do seu filho passa por sofrimento semelhante à mãe elefante que chora pela perda de seu filhote. 

Se o sofrimento é natural para que ele existe?

Uma ótima pergunta. Se Deus em sua infinita bondade e sabedoria é perfeito em todas as coisas por que ele admite o sofrimento na vida de sua criação? seria de alguma forma uma espécie de maldade ou castigo? A resposta é simple e objetiva: O sofrimento se origina em nós mesmos e é algo que cultivamos. Explicaremos melhor com alguns exemplos: Pessoas que sofrem por amor, sofrem, além de por terem sido enganadas e a outra pessoa ter parcela de culpa, mas também por terem colocando expectativas suas e ao se deparar com o insucesso de seus anseios a pessoa acaba se tornando vítima das suas expectativas frustradas.

O sofrimento de quem perde um ente querido é justificável?

Sem dúvidas! que pessoa não se sentiria mal, triste e abatida por ter perdido um ente querido? estamos num nível evolutivo que ainda somos muito apegados à presença e a constante necessidade de se ter por perto quem amamos. Aos olhos de Deus o sofrimento de uma mãe que perde o filho é completamente compreensível desde que esta não deixe de viver e não sufoque suas emoções com esta dor. Parece difícil né? aposto que você mãe que perdeu um filho ou qualquer pessoa que perdeu alguém caro nesta encarnação está lendo isso e achando impossível. Pois bem tente pensar que nada é eterno a não ser a vida e o amor de Deus. Portanto se você perdeu alguém nesta vida, não é um adeus e sim um até logo. Quando nós sabemos lidar com a morte ou a perda de alguém nós aprendemos o desapego que tanto Kardec exalta através das respostas dos espíritos no livro dos espíritos.

O que falar dos sofrimentos que geram depressão ou tristezas diárias?

Bem, chegamos ao auge da discussão quando falamos em depressão e anseios diários da vida humana. Como disse anteriormente o sofrimento é basicamente oriundo das expectativas frustradas dos seres humanos. Se quando lidarmos com um não da vida ficarmos tristes e apenas olhando pelo lado negativo da situação estaremos plantando no fértil solo das ideias obscuras que nos levam às sombras e às fronteiras da depressão. É um caminho perigoso a se seguir o da negatividade pois uma pessoa negativa tende a se tornar cega para as bençãos que tem e apenas enxerga o que de ruim acontece. Muitas das vezes é aquela pessoa que torna o ambiente mais pesado e triste pois irradia a sua infelicidade.

Como lutar contra esse sentimento?hungry-african-children

Não existe uma forma exata de se lutar contra os sofrimentos a fim de se evitar a depressão, apenas a busca implacável pela felicidade de outrora. Seja fazendo novos hobbies, conhecendo novos amigos ou SE conhecendo mais intimamente. Importante será que você acima de tudo se valorize e busque ver coisas boas da sua vida. Pese numa balança: de um lado o que você tem de bom que muitas pessoas no mundo não tem, do outro o que você acha que falta e perceberá que perto por exemplo das crianças órfãos africanas você tem uma vida cheia de bençãos e alegrias que pra elas seriam o paraíso. Perto dos sem teto você tem uma cama confortável com a comida que gostaria e o cobertor que te alivia do frio ou o ar-condicionado que te ameniza o calor. Perto dos doentes em estado final você tem  a vida e a benção de poder gozar de uma saúde que lhe permite fazer muitas coisas que muitos gostariam… Pense nisso!

Muita paz!

O Casamento na visão Espírita

casamento-na-viso-esprita-1-638

Sem dúvida um dos assuntos mais procurados na página tem sido problemas conjugais e se isso pode ser motivado pro influências espirituais. Bem : sim e não.

Sabemos que o casamento é uma lei de evolução e progresso da natureza como listado na pergunta: 

695. O casamento, ou seja, a união permanente de dois seres é contrária à lei da Natureza?

      — É um progresso na marcha da Humanidade.

Logo entendemos que o casamento é uma das formas de crescermos e evoluirmos espiritualmente de forma a entender nossas qualidades e nossos defeitos junto de um outro ser que escolhe a nossa companhia como a do espírito afim de se evoluir conjuntamente.
Existem casamentos missionários, onde o par é de espíritos amigos e que realmente se amam e buscam o aperfeiçoamento de suas habilidades, rever seus débitos e quita-los a fim de se desprender dos laços materiais que nos atrasam em busca de uma evolução.
E existem os casamentos onde são prioritariamente de provas e espiações. Onde reside a necessidade urgente de se estabelecerem laços, reverem problemas do passado e ajustar-se perante a lei universal.

Muita gente se pergunta: “qual seria o meu tipo de casamento?”. Bom, isso é difícil se precisar, visto que inúmeros fatores corroboram para o tipo de relação entre os espíritos numa encarnação. Uma coisa é fato, nada acontece atoa e tudo tem uma necessidade de ser. Se você está com alguém agora é porque isso estava no seu plano reencarnatório e – bom ou ruim – era uma necessidade da sua vivência. Desde que nos envolvemos num relacionamento com uma pessoa criasse um laço espiritual. Normalmente esses laços são programados pela agenda reencarnatória do indivíduo, mas existem casos em que isso é modificado durante a vida ou até mesmo adiado ou adiantado.

A questão mais importante é talvez a de diferenças entre o casal que levam normalmente a brigas e a acumulações de débitos. Segundo os espíritos o casamento é o que nos agrega valores emocionais e espirituais e nos difere dos animais na questão de reprodução e vivência. Nós com nossa capacidade intelectual somos capazes de nos compreender, viver e aprendermos juntos. O ser humano é com certeza um indivíduo que nasceu para viver em sociedade e conforme esta evolui, esse se torna melhor devido à troca de experiencias e sensações, elevando nosso acumulo espiritual de experiencias diversas.

Como-lidar-com-a-crise-na-vida-a-doisEstou com o relacionamento em crise, o que fazer?

Bom como todo espírita sabe, ante a qualquer problema devemos orar e pedir serenidade acima de tudo para as resoluções de nossas provações. Muitos de nossos problemas são meras criações de nossas ansiedades em busca de alguma paixão ou sentido. Esquecemos porém dos sentimentos envolvidos em um relacionamento seja ele de qual teor for e , no caso, um casamento que é a união entre dois espíritos a fim de crescer mutuamente numa jornada difícil seria um crime grave agir por egoísmo de forma a violentar o sentimento alheio. Pede-se que existe respeito antes de tudo e que a admiração nunca sesse durante os anos de convivência. 

Neste ponto chegamos a um fator que influenciou a criação deste artigo: a influência espiritual. Bem inúmeros casos de influência espiritual tem nos mostrado que em qualquer questão de nossa vida estamos sempre sendo influenciados pelos espíritos e pelos outros. Certamente obsessores ou espíritos mais atrasados tentando de certa forma frear a nossa evolução moral podem nos colocar ideias de medo, raiva, rancor ou criar até mesmo mecanismos obsessivos mais pesados a fim de nos desviar do caminho do bem. Isso tudo pode ocorrer e não há como fugir de certa forma estamos todos fadados a receber essas influências. Podemos apenas nos proteger disso frequentando casas espíritas, mantendo o ambiente no lar sadio e com o padrão vibratório alto. Focar nas qualidades é dever de todo casal que pretende estar junto.

É claro também que nem tudo que nos acontece é somente espiritual e podemos estar passando por dúvidas intimas que não seriam “culpa” de nenhuma espiritualidade a não ser a de nós mesmos. Neste caso necessitamos ouvir a voz do coração, que seria nossa alma se comunicando conosco, através do silêncio em prece nos alertando e enviando sinais do como proceder nas questões aflitivas de ordem matrimonial. 

Uma boa metáfora é a da balança. Sempre que estiver com um problema que envolva atitudes de outrem busque pesar numa balança um bloco no lado esquerdo para o mal e o outro no direito para o bem. Cada bloco será uma atitude boa (direito) ou ruim (esquerdo) que você colocará nesta balança. Se fizermos isso com raiva ou rancor perceberás que esqueceremos sempre as coisas boas e lotaremos o lado ruim de “blocos”. Mas se fizermos de forma equilibrada teremos a balança mais próxima do real possível e isso poderia ser uma forma de pensarmos todas as nossas mazelas físicas e espirituais. SERENIDADE é a palavra chave ante as dificuldades enfrentadas.

E quem não quer casar ou pretende viver sozinho?

Mas há quem diga que não nasceu para viver com outras pessoas ou que prefira viver sozinho. O livro dos espíritos de Allan Kardec nos fala na pergunta: 

698.0 celibato voluntário é um estado de perfeição, meritório aos olhos de Deus?

     — Não, e os que vivem assim, por egoísmo, desagradam a Deus e enganam a todos.

699.O celibato não é um sacrifício para algumas pessoas que desejam devotar-se mais inteiramente ao serviço da Humanidade?

     — Isso é bem diferente. Eu disse: por egoísmo. Todo sacrifício pessoal é meritório, quando feito para o bem; quanto maior o sacrifício, maior o mérito.

Comentário de Kardec: Deus não se contradiz nem considera mau o que ele mesmo fez. Não pode, pois, ver um mérito na violação de sua lei. Mas se o celibato, por si mesmo, não é um estado meritório, já não se dá o mesmo quando constitui, pela renúncia às alegrias da vida familiar, um sacrifício realizado a favor da Humanidade. Todo sacrifício pessoal visando ao bem e sem segunda intenção egoísta eleva o homem acima da sua condição material.

Nesse trecho, Kardec e os espíritos nos esclarecem que não existe mérito em viver uma vida solitária e egoísta e que fugir do casamento por meros caprichos seria uma afronta a lei natural. Mas ressalta que há casos em que o celibato é dado por motivo nobre e muito altruísta o que eleva esta atitude a uma doação de sí para a humanidade ou para o progresso geral.

Como proceder então em um casamento de forma que estejamos aplicando a lei de Deus?

cccAntes de qualquer coisa : Com amor. o Amor não possessivo, mas o amor que liberta. O amor que entende as aflições alheias e busca a evolução e não a paixão. Entendamos que o espiritismo é contra o divórcio até o ponto em que a união já não tenha mais respeito e que manter-se unido o que pode levar a riscos a um dos dois será preferível que se separe o que pode acabar muito mal.  Mas nem mesmo Jesus consagrou a indissolubilidade absoluta do casamento. Não disse ele: “Moisés, pela dureza dos vossos corações, vos permitiu repudiar as vossas mulheres”? Isto significa que, desde os tempos de Moisés, não sendo a mútua afeição o motivo único do casamento, a separação podia tornar-se necessária. Mas acrescenta: “ no princípio não foi assim”, ou seja, na origem da Humanidade, quando os homens ainda não estavam pervertidos pelo egoísmo e orgulho, e viviam segundo a lei de Deus, as uniões, fundadas na simpatia recíproca e não sobre a vaidade ou a ambição, não davam motivo ao repúdio.

Seja qual for os problemas que atravessem em seus casamentos, se eles irão terminar ou não, se buscarão a mudança ou não. Meus amigos lembrem-se de uma coisa somente, segundo Jesus, tudo pode ser vencido apenas repetindo 3 atitudes simples porém muito difíceis para nós:

AMA, PERDOA E CONFIA!

Muita paz!